quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Curiosidades sobre a II Guerra Mundial

Eu sei… eu sei que ando tratando demais desse tema aqui. Mas é que está se tornando impossível calar as minhas opiniões sobre esse tema controverso.

Assim, gostaria de saber se algum de vocês tem resposta para as seguintes questões:

1ª) Genocídio
Theodor_Eicke Este homem é Theodor Eicke, criador do campo de concentração Dachau, o primeiro inaugurado na Alemanha Nazista. Se tivesse sobrevivido até o final da II Guerra Mundial, o Comandante Eicke seria certamente julgado em Nuremberg e condenado à morte por genocídio. No campo por ele fundado morreram, segundo as estatística oficiais, cerca de 30.000 (trinta mil) pessoas.

A morte de 30.000 pessoas é certamente um crime. Não estou aqui defendendo quem quer que tenha feito algo assim. O problema começa quando consideramos este outro homem abaixo.

O sujeito sorridente no avião aqui ao lado é o Coronel Paul Warfield Tibbets Jr.220px-Col_Paul_W._Tibbets_before_takeoff_6_August_1945 Para quem ainda não teve a honra de ser apresentado ao ilustre coronel, foi ele quem lançou sobre Hiroxima a primeira bomba atômica, com seu avião batizado de “Enola Gay” (Enola Feliz… naquela époa a palavra gay ainda tinha essa conotação apenas. Enola era a mãe do coronel Tibbets.), matando mais de 119.000 (cento e dezenove mil) pessoas de uma única vez.

Se você tiver o mínimo de bom senso e honestidade intelectual, terá de admitir que este homem merecia o mesmo tratamento do primeiro. Devia, ao final da guerra, ser julgado por genocício e executado. Mas não foi isso, claro, o que aconteceu. Na verdade, o coronel Tibbets foi condecorado pela sua ação e morreu tranquilamente em sua casa, em 2007, sem demonstrar nenhum tipo de arrependimento pela morte de tanta gente.

O Nazista matou menos, mas é execrado. O americano matou mais, mas é condecorado. Sabe por que? Porque vitoriosos nunca são condenados. São eles que escrevem a história oficial e podem dizer o que quiserem. Os perdedores estão mortos ou desmoralizados e se pode dizer deles o que se quiser. Não podem reagir. Estão presos, massacrados, abatidos, sem acesso à mídia.

2ª) Crimes de Guerra

Quando lemos a história oficial da II Guerra Mundial, parece que só os alemães e japoneses cometeram “crimes de guerra”, seja lá o que for isso.

A guerra é um crime em si mesma. Todos que vão para ela, seja forçada ou voluntariamente, sabem que estão sendo enviados para matar outras pessoas. E se matar é crime em tempos de paz, deveria ser menos crime em tempos de guerra? O fato de estar usando um uniforme indulta alguém dos crimes cometidos?

Os dois grandes bombardeios sofridos por Tokyo durante a II Guerra Mundial vitimaram mais de 150.000 (cento e ciquenta mil) pessoas. Mas você nunca soube de militares americanos ou ingleses sendo condenados por isto, soube? Pelo contrário. Muitas medalhas devem ter sido distribuídas. Os mortos eram, em sua maioria, mulheres, crianças e idosos, já que os homens em idade militar estavam servindo e não em casa esperando as bombas americanas caírem sobre suas cabeças.

Se militares japoneses tivessem bombardeado Nova York ou Los Angeles e matado essa quantidade de pessoas, certamente teriam sido condenados por “crimes de guerra” ou “crimes contra a humanidade”. O que quer dizer isso? Que só os americanos e os que concordam com eles fazem parte da humanidade?

3ª) Campos de concentração

Os malvados Nazistas criaram os campos de concentração, não foi? É nisso que você acredita, provavelmente, porque passou a vida toda ouvindo a história oficial. Mas não é verdade!

O primeiro registro de uso de campos de concentração foi pelos militares britânicos, durante as Guerras dos Bôeres, na África do Sul, quando colonos holandeses tentaram livrar-se do poderio britânico naquela região criando Estados independentes. Milhares de pessoas foram deixadas à míngua em campos de concentração e muitas morreram de fome e doenças.

E os americanos parecem ter gostado da ideia dos campos de concentração, pois em 1942 colocaram em diversos campos espalhados pelo país mais de 150.000 (centro e cinquenta) mil nipo-americanos. Esta é uma história pouco divulgada até mesmo nos Estados Unidos, pois os prisioneiros eram cidadãos americanos! (Leia aqui).

4ª) O misterioso “amor pela Polônia”

A história oficial diz que a II Guerra Mundial começou porque França e Inglaterra resolveram ajudar a Polônia contra a invasão das tropas alemães. É mais bonito explicar a coisa assim, mas não é exatamente a verdade…

De fato, franceses e ingleses tinha um tratado de ajuda mútua com a Polônia. E, de fato, declararam guerra depois que tropas alemães invadiram aquele país para RETOMAR a cidade alemã de Dantzig, que havia sido anexada pela Polônia no Pacto de Versailles, que pôs fim à I Guerra Mundial.

Mas eu tenho uma pergunta aqui… Quando as tropas soviéticas expulsaram da Polônia as tropas alemães e ocuparam aquele país, por que esse amor pela Polônia dos ingleses e franceses não se manifestou? Por que esses dois países, que ainda tinham com o Polônia o mesmo tratado de ajuda mútua, assistiram calados a dominação daquele país pelos soviéticos?

O fato é que os aliados venderam a Polônia para os soviéticos em troca do apoio para derrotar Adolf Hitler. Esta foi uma das decisões da chamada Conferência de Yalta. E se eles podiam negociar a Polônia tão facilmente, como se explica a decisão de defendê-la até a morte tomada anos antes?

A explicação é que Inglaterra e França precisavam de uma boa desculpa para destruir o III Reich! Adolf Hitler havia achado um modelo de crescimento econômico com produção que estava deixando no chinelo todas as potências coloniais europeias. Em seis anos tirou a Alemanha do caos econômico para a posição de país mais poderoso da Europa. Colocou ordem onde só havia bagunça.

- x -

Procure sair do seu quadrado e examinar os fatos. Não se deixe escravizar pela versão oficial da história. Ela foi construída para iludir você.

matrix-redpill

O que eu ofereço aqui neste blog é a mesma escolha do Neo em “Matrix”. Você pode tomar a pílua azul e vai acordar em sua cama, sem se lembrar de nada, apenas da história oficial. Vai ser sempre um ser movido a corda, uma marionete controlada pelas forças sociais que impõem essa história oficial.

Mas se você tomar a pílula vermelha e seguir adiante comigo, tenho certeza de que vai entender melhor o mundo de ilusão que foi criado para nos escravizar. Matrix, amigos e amigas, não está no cinema. Está aqui e agora!

2 comentários:

  1. Sem a pírula vermelha eu não serei quem sou.desejo ela com uma boa dose de Whisky alemão!

    ResponderExcluir
  2. Sempre fui fascinada pela forma em que os nazistas conduziram a guerra, com frieza e inteligência... Exemplos disso são Joseph Mengele (Meu favorito), o próprio Eicke, por ter criado uma das maiores e mais temidas Tropas da SS. São todos fascinantes!

    ResponderExcluir

Só aceito comentários de pessoas bem educadas. Logo, se pretende expressar suas valiosas opiniões em termos chulos e grosseiros, lamento mas não vai conseguir. Eu leio todos os comentários e aprovo apenas os que estão dentro desse critério. Discordâncias educadas são bem vindas.